Já se transformou em uma novela a obra de qualificação da Ponte Dom Pedro II, que se arrasta há mais de 20 anos, por causa das idas e vindas entre a empresa Valor da Logística Integrada (VLI), responsável pelo trem que passa na Ponte Dom Pedro II, e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), responsável pela preservação do conjunto arquitetônico, tombado há mais de 50 anos.

Um acordo para requalificar o monumento, que completou 134 anos em 07 de julho, foi assinado em 2002, com um Termo de Ajuste de Conduta (TAC).  Porém, desde então já foram realizadas várias obras de intervenção, que nunca foram concluídas. A Associação Institucional de Defesa de Direitos e Garantias Constitucionais e Infraconstitucionais da Região do Recôncavo (A CIDADÃ), já realizou várias reuniões para promover um entendimento entre a VLI e  e IPHAN.

No dia 6 de junho desse ano, o descarrilamento de um trem causou a suspensão do tráfego na ponte e o incidente acelerou a discussão sobre a requalificação do monumento. Foi marcada uma reunião para dia 7 de julho para apresentar o cronograma de obras, mas os responsáveis não compareceram e nova reunião foi marcada para o dia 19 de julho. E, novamente, uma reunião foi marcada para o dia 30 de agosto de 2022, às 10h, na Estação Ferroviária.